Freakview #5: Death Stranding e a evolução humana